Milagro del Arroyo
Conselheira Técnica
DGT

De acordo com o informe da OMS sobre a situação mundial em matéria de segurança viária, mais de 1,2 milhão de pessoas morrem todo ano no mundo como consequência de acidentes de trânsito, e outros 50 milhões resultam feridos. A OMS assegura que a maioria dessas tragédias poderia ser evitada através da melhoria das estradas, dos veículos e, sobretudo, criando consciência e modificando os hábitos de comportamento dos condutores e demais usuários da via pública. É precisamente sob este aspecto que as campanhas de conscientização e sensibilização nos diferentes meios de comunicação têm vital importância, assim como as iniciativas empresariais como Emotional Driving, de Gonvarri Steel Services, que merecem nosso mais agradecido aplauso.

Por isso, a Direção Geral de Trânsito, como organismo competente em matéria de elaboração, execução e avaliação das políticas viárias da Administração do Estado, tem como parte de suas principais linhas estratégias de atuação a informação, conscientização e sensibilização de toda a opinião pública sobre os riscos do tráfego e sobre o necessário cumprimento das normas de circulação para prevenir novos sinistros viários em nossas cidades e estradas.

O objetivo essencial das distintas campanhas de segurança viária é, portanto, a luta contra o sinistro viário mediante a conscientização de toda a sociedade.

Os conteúdos concretos dessas campanhas se centram tradicionalmente em combater especificamente os principais fatores de risco que contribuem para acidentes de trânsito (distrações ao volante, álcool e drogas, excesso de velocidade, condições do veículo etc) assim como em fomentar o uso correto dos principais elementos de segurança passiva (capacete e cintos de segurança, sistemas de segurança para crianças etc).

As diferentes campanhas acontecem ao longo de todo o ano, porque o risco de acidentes é constante. No entanto, o número de campanhas e sua intensidade se eleva nas datas com o maior número de deslocamentos de alta quilometragem: Natal, Semana Santa, verão e pontes de feriado.

A Direção Geral de Trânsito já promoveu duas mil campanhas nos últimos cinquenta anos. As primeiras foram realizadas através de cartazes, bandeirola ou inclusive cromos (o primeiro cartaz data de 1960); usava-se também imprensa e rádio, que colaboravam com o organismo de forma desinteressada. Nesse começo, a DGT utilizava um tipo de publicidade baseada no humor, através de personagens animados; e suas mensagens empregavam uma linguagem direta, simples e didática, dirigida a um grupo leigo e minoritário de condutores, pedestres e ciclistas.

A Chefia Central de Trânsito foi o primeiro organismo público a realizar um anúncio em televisão, em 1961, com o objetivo de prevenir os adiantamentos perigosos com o slogan “Agora sim, agora não”. Pouco depois, em 1964, foi realizada a primeira campanha televisiva para tentar conscientizar os condutores e pedestres sobre o perigoso das vias. Assim, ano a ano, as distintas campanhas foram se sucedendo. Muitas dentre elas alcançaram grande notoriedade, basta recordar aquele famoso slogan, “Se beber não dirija”, protagonizado pelo cantor Stevie Wonder, em 1985. Atualmente, as campanhas se adaptaram aos novos tempos. São difundidas através da Internet, imprensa, rádio e televisão.

Ainda que os tempos tenham mudado, a mensagem permanece.

Nos últimos anos, concretamente desde 2011, foi incorporada às campanhas tradicionais uma nova campanha dirigida à prevenção de acidentes de trabalho, fundamentalmente aqueles que se produzem em itinerários. A segurança viária laboral se converteu em um aspecto chave sobre o qual trabalhar. De acordo com dados da organização, mais de 60% dos acidentes de trânsito acontecem de segunda a sexta e das 8 da manhã às 8 da noite, coincidindo com o horário típico comercial. Também é necessário lembrar que praticamente um terço dos acidentes laborais fatais são acidentes de trânsito. O objetivo é conscientizar para salvar vidas, porque, como reza a última campanha para prevenção de acidentes laborais: “Seu trabalho mais urgente é continuar vivo”.

É, por isso, um prazer poder trabalhar neste trabalho e nesta campanha de Emotional Driving. Não apenas porque compartilhamos o mesmo objetivo – conscientizar para salvar vidas – como também porque entendemos que as empresas como Gonvarri têm uma responsabilidade com seus funcionários e com a sociedade, e esta iniciativa é um magnífico exemplo para outras campanhas. Porque, não esqueçamos, a segurança viária é um trabalho de todos.

DGT

Guardar