Pablo González de Suso
Diretor de Recursos Humanos
Gonvarri Steel Services

Na Gonvarri Steel Services, somos conscientes de que as pessoas são nosso ativo mais importante. Por isso, a segurança e a saúde são prioridade e contamos com uma cultura preventiva que garante o bom desempenho em todos os nossos centros. Somos conscientes também de que fora de nossas plantas há uma séria de desafios em matéria de segurança que podemos ajudar a melhorar. É parte de nossa cultura corporativa cuidar de nossa gente. Dar prioridade às pessoas frente aos números, antepor as pessoas ao acompanhamento de resultados.

É assim, e deve ser assim, especialmente em uma companhia como a nossa. Porque a atividade industrial de Gonvarri implica certos riscos laborais, é importante estabelecer todas as medidas preventivas necessárias. Apenas dessa forma conseguiremos eliminá-los, ou ao menos reduzi-los na medida do possível. Para isso, é necessária a implicaçãoo de todos os que fazemos parte de Gonvarri, do primeiro ao último. Presidente, diretores gerais, gerentes, encarregados, trabalhadores, colaboradores… Todos unidos sem exceção para uma causa comum que afeta a todos.

Em 2007 realizamos um diagnóstico global sobre a situação dos indicadores de segurança e saúde. Diante da pergunta: “Por que há acidentes em Gonvarri?”, chegamos à conclusão de que as causas podiam ser englobadas em três: NÃO PODEM (falta de capacidade ou meios), NÃO SABEM (falta de conhecimento ou experiência), NÃO QUEREM (falta de motivação, excesso de confiança, espírito de desafio). Como consequência desse diagnóstico e dos dados que produziu, detectamos a necessidade de criar e potencializar uma cultura de conscientização e prevenção em todos os âmbitos da empresa. Considerar a segurança como um requisito ineludível seria a forma mais eficaz para evitar acidentes, incidentes e imprudências na atividade laboral. A situação em que nos encontrávamos era, basicamente, estávamos reduzindo os indicadores de sinistros, mas de forma pouco homogênea, e, o mais preocupante, que novos investimentos haviam sido solicitados para acondicionar lugares e equipes, não se dava importância ao fator humano nem ao cumprimento de normas.

simulador

Assim, em 2011 lançamos o programa “Um Passo Adiante”, um plano global para fomentar a cultura preventiva no trabalho; e também fora dele, em nosso dia a dia. Não apenas se tratava de gerar consciência preventiva entre as pessoas, como também de implicar todos os membros da organização, independentemente de seu nível hierárquico, e a todos, chefes e funcionários, se exigia o mesmo nível de cumprimento e compromisso.

Foram desenvolvidas quatro linhas de atuação para alcançar esses objetivos: dispor das melhores condições de segurança e saúde, para reduzir os riscos desde a origem; sistemas de gestão integrados na linha hierárquica, para que cada um soubesse como devia contribuir para a segurança; a formação de todo o pessoal sobre riscos e normas; e a conscientização acerca da importância, para a companhia e para as pessoas, o cumprimento das normas existentes.

Nesse último ponto da conscientização – de uma importância chave, porque é a fase que encerra o círculo – foram realizadas diversas atividades nas plantas que buscam transmitir, de maneira participativa, positiva e lúdica, a importância da segurança em todos os âmbitos da vida: profissional, familiar, social. O Dia Mundial da Segurança e Saúde, o programa Hábitos Saudáveis, a plataforma Travellers Backpack e Emotional Driving Challenge são quatro exemplos bem-sucedidos dessa linha de atuação.

A iniciativa do Dia Mundial da Segurança e Saúde consistiu em um concurso de fotografias com o tema do cumprimento de cada um dos “10 Mandamentos da Segurança e Saúde” definidos pelo grupo. A ideia consistiu em criar uma rede de prevenção entre os trabalhadores de Gonvarri que gerasse uma cadeia real de imagens, as quais deveriam incluir ao menos duas pessoas representando um dos 10 mandamentos de segurança e saúde da companhia. O objetivo, a prevenção como uma reação em cadeia: “Cuido de meu colega, ele do seu e este por sua vez de outro…”; e ao mesmo tempo se buscava desassociar a prevenção da ideia de imposição, impulsionando um movimento entre colegas: “Antes de trabalhar, penso não só em mim como também no meu colega”. Reforçar a ideia de que a verdadeira rede de segurança, a mais eficaz, são as pessoas. Para incentivar a participação, criou-se uma plataforma específica em Leading the Change, e promoveram prêmios e reconhecimentos semanais, e um grande prêmio final, aos indivíduos e plantas que enviaram mais fotos.

O resultado superou amplamente as expectativas – foram recebidas quase 3 mil fotos no total de plantas (com grandes doses de humor, originalidade, engenhosidade e companheirismo), procedentes de todos os países (Reino Unido, Brasil, Polônia, Estados Unidos, Rússia, Turquia, Colômbia, Portugal, Argentina, Alemanha), e, além disso, houve uma massiva participação de todos na hora dos prêmios finais: foi um total de 15.500 votos. O sucesso não foi apenas conseguir consolidar neles o conteúdo desses mandamentos básicos, como também que todos o fizessem de forma positiva e cheia de vontade, reforçando o espírito de grupo e conseguindo conectar plantas de todo o mundo em torno do tema da segurança.

Outra iniciativa de sucesso foi o programa Hábitos Saudáveis, para fomentar a atividade física individual e coletivamente, assim como comportamentos sãos e saudáveis em nossas vidas. Por um lado, facilitando a prática do esporte: atividades esportivas subvencionadas, academia de ginástica nos escritórios, torneios por equipes. E de disciplinas tão diversas como ciclismo, atletismo, tênis, paddle, excursões de moto, futebol, basquete…. para chegar a todo tipo de público. Em todas essas atividades a participação tem sido enorme, foram criados grupos na Intranet e novos companheiros de hobby foram descobertos.

Por outro lado, promovendo uma alimentação saudável, com artigos diários sobre temas interessantes como alimentação saudável ou agricultura ecológica, os segredos para se dormir bem, como cuidar do coração… assim como o curso Hábitos Saudável no Leading the Change University.

Com Travellers Backpack buscou-se desenvolver esta cultura preventiva entre o pessoal deslocado, de forma temporal ou permanente, a outros países. Países com riscos, com inseguranças de índoles muito diversas (física, jurídica, sanitária), com diferentes costumes e culturas, etc. Foi criado um espaço multicanal onde se aglutina informação prática e conselhos de relevância (trâmites e documentos, riscos associados à localidade, pólices de seguro, informação sociocultural e política, mapa com hospitais, embaixada, plantas Gonvarri…; assim como conselhos em caso de roubo ou emergências, ou um espaço para compartilhar a experiência. Tudo, com um único objetivo: que os expatriados se sentissem seguros e protegidos a todo momento.

Os resultados dessas iniciativas têm sido muito bons em índices de frequência e gravidade. A partir disso, conseguimos grandes marcos na evolução dos dados de sinistros durante esses últimos anos. As plantas têm consciência disso, já que todo ano batem recorde de dias sem acidentes com baixa.

GONVARRI-BURGOS_Emotional-Driving-web

Mas o mais importante é ter conseguido que os trabalhadores entendam que a segurança é um requisito inegociável em Gonvarri, e valorizem o esforço da companhia nos investimentos realizados para eliminar perigos e riscos, como em conscientizar e fomentar a prevenção desses riscos e perigos.

Mas se essas três iniciativas obtiveram merecido sucesso, o projeto estrela é, sem dúvida, Emotional Driving. Porque quando falamos de trânsito, falamos de sinistros em maiúsculas, de números que empalidecem qualquer outra causa. Um a cada três acidentes de trabalho fatais acontecem por causa do trânsito; dentre eles, a maioria ocorrre durante os deslocamentos de trabalhadores para seus postos de trabalho (60%) ou em deslocamentos entre centros de trabalho ou derivados de sua própria atividade. De acordo com a DGT, além dessas cifras, cada dia acontecem 191 acidentes viários laborais com baixa (contabilizando também sábado e comingo) e 10% dos acidentes laborais com baixa se devem ao trânsito. Considerando esses dados, sinistros, a implicação das empresas é absolutamente necessária e urgente, é uma questão de responsabilidade, com seus funcionários e com a sociedade. No caso de Gonvarri Steel Services é, além disso, uma preocupação constante e uma prioridade.

Através de Emotional Driving, quisemos reforçar nosso compromisso com a Segurança e a Saúde de nossos trabalhadores. Uma iniciativa que começou sua caminhada em 2014, e é fruto da colaboração com AESLEME, e busca melhorar e aumentar nossos esforços para promover a cultura preventiva no âmbito da segurança. Temos consciência de que todos nossos trabalhadores realizam deslocamentos e consideramos relevantes contribuir para que essas possam se realizar da forma mais segura.

O projeto está, além disso, perfeitamente alinhado com a tríplice avaliação de resultados e com nossos objetivos estratégicos, graças à combinação de três níveis:

1. A segurança viária faz parte de nosso modelo de negócio, através de nossa divisão de segurança viária.

2. O eixo segurança e saúde também faz parte de nosso compromisso com nossos profissionais, de modo que, a partir de nossa preocupação com a sociedade, buscamos sensibilizar nossa gente.

3. A segurança viária é, finalmente, uma demonstração de nossa preocupação com o ambiente, já que acreditamos que é inaceitável qualquer perda de vidas humanas em acidentes de trânsito.

Gonvarri Steel Services decidiu assumir esta preocupação, tratar de mitigá-la e não poupar esforços para sensibilizar nossos colaboradores e a sociedade sobre o quão importante é não assumir nenhum risco quando se trata de nossa vida e da dos outros. Este é nosso objetivo, minimizar essa estatística e contribuir para salvar vidas.

Emotional Driving estabelece, definitivamente, o mais firme compromisso com nossos valores, com nossa gente e nosso ambiente. Sem dúvida, três de nossos ativos mais valiosos.

portada_web